sábado, 14 de janeiro de 2017

TRÊS SONETOS - JACÓ E RAQUEL




Encontro de Jacó com Rachel, 1518-19, Rafael
(pintor  italiano do Renascimento, 1483-1520),
afresco, no Palácio do Vaticano – Itália.


Jacó e Raquel (Soneto 29)
Luís Vaz de Camões

Sete anos de pastor Jacó servia
Labão, pai de Raquel, serrana bela;
Mas não servia ao pai, servia a ela,
E a ela só por prêmio pretendia.

Os dias, na esperança de um só dia,
Passava, contentando-se com vê-la;
Porém o pai, usando de cautela,
Em lugar de Raquel lhe deu a Lia.

Vendo o triste pastor que com enganos
Assim lhe era negada a sua pastora,
Como se a não tivera merecida;

Começou a servir outros sete anos,
Dizendo: Mais servira, se não fora,
Para tão longo amor, tão curta a vida.

(Soneto XXIX. Luís de Camões, 1524-1580)




A PROPÓSITO DE UM
SONETO DE CAMÕES

Sete anos de pastor Jacó servia
Labão, pai de Raquel, sujeito esperto.
Servindo ao arameu, quis tê-la perto,
E na faina tão dura se esvaía.

O tal Labão assim se comprazia,
Em ser chamado lobo do deserto,
E Jacó, já pensando estar liberto,
Foi atrás de Raquel, mas trouxe Lia.

Vendo o pobre pastor que o dito sogro
Lhe negou a mulher que tanto amava,
Pois pensava tão só no desencalhe,

Recomeça a servir, pesar do logro,
E no leito com Lia, outra esperava,
E o amor se tornou mero detalhe.

Marco Haurélio
Imagem: Jacó e Raquel (William Dyce)



O sonho de Jacó - Rafael Sânzio

A PROPÓSITO DO SONETO
DO POETA MARCO HAURÉLIO

De Esaú tomou a primogenitura
Pondo peles de cabrito sobre as mãos
Nas disputas que travaram os dois irmãos
Foi Rebeca quem agiu de cara dura!

E Isaac, sacrifício de alma pura,
Segue o engodo, mergulha nesses vãos,
Os seus olhos que já não eram sãos
Não puseram mais água na fervura.

E o Jacó, andarilho dessa estrada,
Sonhador de promessas e de escada,
Procurava qual abelha num vergel

A colmeia que lhe fora prometida
Mas após sete anos nessa lida
Teve Lia, antes de ganhar Raquel.

Arievaldo Vianna