quarta-feira, 30 de setembro de 2015

CARTA DE POMBAL

Poetas, folheteiros, palestrantes, pesquisadores e organizadores 
da FEIRA DE CORDEL LEANDRO GOMES DE BARROS


Palestra LEANDRO GOMES DE BARROS, 150 ANOS

I FEIRA DE CORDEL LEANDRO GOMES DE BARROS
Em comemoração aos 150 anos do poeta
De 23 a 29 de setembro de 2015, em Pombal-PB


Leandro Gomes de Barros é o expoente máximo de um gênero literário que vem se consolidando a cada dia como uma das ferramentas mais eficazes na formação de leitores e construção textual no ambiente escolar: a LITERATURA DE CORDEL. Nascido na fazenda Melancia, município de Pombal-PB, aos 19 de novembro de 1865, o grande poeta paraibano é considerado o “Pai da Literatura de Cordel”, por ter sido um pioneiro do gênero e ser considerado, ainda hoje, um dos maiores expoentes da poesia brasileira.
O projeto FEIRA DE CORDEL POETA LEANDRO GOMES DE BARROS é uma homenagem a esse importante escritor brasileiro de Literatura de Cordel no ano de seu sesquicentenário. Além de ter sido um dos formatadores desse estilo poético, Leandro é autor de vários clássicos que ainda hoje são editados e lidos em todo o Brasil, perfazendo milhões de exemplares vendidos ao longo de mais de 100 anos.

Visita a Fazenda Melancia, local de nascimento do poeta

Uma casa sertaneja
De pé direito, alpendrada,
Uma cerca recuada
Mais adiante, uma igreja,
Foi cenário da peleja
 Traz histórias no regato
Fica no meio do mato
E todo universo cabe
Quem é sertanejo sabe
Quanto vale esse retrato.

As atividades propostas pelo projeto proporcionam o reconhecimento de Leandro Gomes de Barros em sua terra natal, a difusão de sua vida e obra, além de possibilitar um grande encontro de editores, poetas, folheteiros e pesquisadores oriundos de diversos estados da Federação, inclusive do eixo Rio-São Paulo, em atividade no momento.
A primeira edição da FEIRA DE CORDEL LEANDRO GOMES DE BARROS realizou-se no largo da Praça do Centenário, na cidade de Pombal; ministrando oficinas nas escolas, apresentação de repentistas e declamadores, lançamento de livros e folhetos, realização de debates e mesas redondas colocando em evidência a figura do poeta e a sua importância para a história cultural e literária da Paraíba, do Nordeste e de todo o Brasil.

Pátio da fazenda atual

Dois bezerrinhos deitados
Aproveitando a malhada
E a serrania encantada
Já se vê por outros lados
São os reinos encantados
Que Leandro fez relato
Pois ele viveu, de fato,
Neste cenário Moçárabe
Quem é sertanejo sabe
Quanto vale esse retrato.

Durante a visita ao sítio Melancia, onde ainda se encontram vestígios da casa onde nasceu o poeta, vários artistas envolvidos no projeto sugeriram a criação de um memorial e instalação de uma cordelteca, tornando aquele espaço mais atrativo, já que espontaneamente vem atraindo poetas, professores, estudantes, pesquisadores e admiradores da obra de Leandro. Outras deliberações importantes foram sugeridas ao longo da FEIRA, das quais destacamos as seguintes:

1 – Reconhecer a cidade de Pombal-PB, berço de Leandro, como a CAPITAL NACIONAL DA LITERATURA DE CORDEL;
2 – Dar continuidade a feira em edições anuais ou como bienal, atraindo sempre os maiores expoentes do gênero, além de editores, folheteiros, pesquisadores e amantes em geral da Literatura de Cordel;
3 – Envolver sempre o maior número possível de professores e alunos, sobretudo das escolas públicas das redes Estadual e Municipal, inclusive de outros municípios da Paraíba;
4 – Implantação de bibliotecas de cordel (cordeltecas) nas escolas, com realização de palestras e oficinas, para que as novas gerações conheçam, admirem e preservem a obra e a memória de Leandro e de outros grandes expoentes do cordel, do passado e do presente;
5 – Identificar e estimular o surgimento de novos valores da Literatura de Cordel, através da realização de concursos, palestras, recitais e oficinas;
6 – Seleção e publicação dos melhores trabalhos produzidos nas escolas locais a partir da FEIRA DO CORDEL e de seus desdobramentos;
7 – Estimular a adaptação da obra de LEANDRO GOMES DE BARROS e outros poetas para o teatro, cinema, quadrinhos, artes plásticas e outras manifestações artísticas.

Essa paisagem fica defronte as ruínas da casa onde o poeta nasceu

Tem cacimbas e lajedos
Algarobas,  juazeiros,
Teiús garbosos, ligeiros,
Cheios de manha e segredos...
Hoje, evocando os enredos,
Deste sertão tão pacato
Eu vi o fundo do prato...
Que o tesouro não se acabe!
Quem é sertanejo sabe
Quanto vale esse retrato.


Nós abaixo assinados, participantes deste evento como organizadores, convidados, palestrantes, professores, estudantes e observadores endossamos este documento e o encaminhamos às autoridades ligadas ao fomento da Cultura no Estado do Paraíba e no Brasil, para que sirva como testemunho do êxito e repercussão desta grande iniciativa.


Pombal, 29 de setembro de 2015

Jô Oliveira, autor do painel que homenageia Leandro, na 
foto com Arievaldo Vianna, Abraão Batista e Paiva Neves.

Poetas e palestrantes reunidos para a foto oficial, no painel de Jô Oliveira

Marco Haurélio discursa no local das ruínas da casa onde nasceu Leandro

Professora IONE SEVERO, idealizadora da Feira de Cordel