quinta-feira, 24 de maio de 2018

LAMPARINA



NO TEMPO DA LAMPARINA
Será sábado que vem, no auditório da CDL de Canindé, o pré-lançamento do livro “No Tempo da Lamparina”, do confrade Arievaldo Viana. Incluindo memórias, anedotário, causos, cordel, humor e perfis biográficos, “No Tempo da Lamparina” sequencia a dedicação que Arievaldo vem mantendo fielmente em favor da cultura popular cearense, especialmente dos sertões de Canindé, onde o autor conserva fortes laços de vida.

A publicação vem somar-se a outras já lançadas, num ciclo cultural que teve início nos anos noventa. Por esse tempo, Arievaldo encetou o projeto Acorda Cordel na Sala de Aula, pontapé que, no apagar das luzes do século passado, fez reacender a chama da literatura autêntica do povo. De lá para cá, a trajetória literária desse canindeense de alma nascido no município de Quixeramobim é tão-somente de ascensão, para regozijo dos leitores de seus livros e folhetos de cordel.
Chargista, xilogravador, poeta e escritor de nomeada premiado por aí afora, Arievaldo segue firme apostando na leitura impressa, convicto de que a era da informática só trouxe benefícios ao mercado editorial. Não é à toa, exatamente por isso, que as publicações de Arievaldo primam pela excelência da apresentação gráfica, visto que essa é também uma das searas do seu grande talento.
Nascido na zona rural, Arievaldo viveu sua meninice quando ainda havia infância pura. E dessa infância, guarda ele o mais nobre repertório de fatos jocosos, de pessoas simples, causos singulares, cenas sertanejas, situações típicas de nossa gente criativa e forte. Uma carrada de lembranças interessantes preservadas numa memória prodigiosa, e compartilhadas com o público por meio do livro. Dizendo melhor: dos livros que Arievaldo escreve, com o fervor de sua sensibilidade sempre apurada.
Com isso, o poeta reafirma seu dom, contribuindo seguramente para a manutenção viva da cultura popular, que tem como palco altaneiro o sertão nordestino – no nosso apreço, o sertão cearense. “No Tempo da Lamparina” é o filho caçula, por enquanto, da notável capacidade intelectual e emotiva de Arievaldo, que ainda brochote, agitou o meio cultural canindeense, com os diversos vieses de sua criatividade e com o apoio espiritual de homens da grandeza dos saudosos Professor Laurismundo Marreiro e do jornalista e escritor Chico Karam, sem esquecer o cordelista Gonzaga Vieira, que há pouco nos deixou.
Ora cinquentão, Ari presenteia-nos com mais um filho de seu estro fecundo. O lançamento do livro “No Tempo da Lamparina” acontecerá por ocasião da sessão mensal da Academia Canindeense de Letras, Artes e Memória (ACLAME), mas será também aberto ao público. Valerá, portanto, a pena conferir.
Pedro Paulo Paulino
Poeta e jornalista