sábado, 24 de dezembro de 2016

O FARSANTE QUE USURPOU O NATAL





Um velhote ridículo, vestido de vermelho, montado num trenó puxado por renas voadoras usurpou a Festa Magna da Cristandade em nome do capitalismo selvagem. Os poetas GERALDO AMÂNCIO e OLIVEIRA DE PANELLAS, em mote inspiradíssimo, fizeram esse belo protesto:

SEM NOEL E SEM NATAL

"Criancinha do mocambo
Teu Papai Noel não vem
Pra te trazer um He-man
Ou um boneco do Rambo
Quando você, por um bambo
Vê um no comercial
Deseja pegar o tal
Porém teme aos seguranças
Trinta milhões de crianças
Sem Noel e sem Natal

Ou Papai Noel, por que
O senhor nunca visita
O guri da palafita
Que procura e não lhe vê
Ouvi tanto de você
'Tudo pelo social'
Chegou seu tempo, afinal
Restam amargas lembranças
Trinta milhões de crianças
Sem Noel e sem Natal

Criancinha magricela
Cadê teu Papai Noel
Esse homem de papel
Que entra pela janela?
Será que pela favela
Papai Noel passa mal
Por pensar que o marginal
Rouba as suas alianças?
Trinta milhões de crianças
Sem Noel e sem Natal".

UM FELIZ NATAL a todos os seguidores do blog MALA DE ROMANCES, sem NOEL e com a Luz e as Bênçãos do Menino Jesus.