segunda-feira, 4 de abril de 2016

JOÃO GRILO E AS LAGARTIXAS VERDINHAS



ARTIMANHAS DE JOÃO GRILO
Autor: Arievaldo Viana
Ilustrações: Jô Oliveira

 TODOS conhecem João Grilo
Um menino diferente
Pequeno, feio e franzino
Porém muito inteligente,
Uma mente talentosa,
Bem dotada e engenhosa,
Sagaz e irreverente.

Quando nasceu esse ente
Caiu neve em Teresina
E detonou um vulcão
Pras bandas de Petrolina
De Fortaleza a Belém
Os carros correram sem
Precisar de gasolina!

Ele tinha a perna fina
E a boca de 'Mãe-da-lua'
Nunca gostou de cantar
A cantiga da perua,
Tudo na vida enfrentava
E satisfeito gritava:
- Manda brasa! Senta a pua!

Foi um quengo muito fino
Legítimo cabra da peste
Existiu outro na Europa
Esse viveu no Nordeste
O de lá era um lesado
O daqui era um danado
E não há quem me conteste.

O João Grilo português
Meteu-se a decifrador
Rei das adivinhações
E só saiu vencedor
Devido um golpe de sorte
Assim escapou da morte
Recebendo algum louvor.

Nosso Grilo foi criado
Com tareco e mariola
Nunca se viu outro cabra
Com tão medonha cachola
Encantou até sultões
Pois nas adivinhações
Foi ele quem fez escola.

Nasceu lá na Paraíba
Criou-se em Taperoá
Foi camelô em Sergipe
Fez carimbó no Pará
E foi encontrar a sorte
No Rio Grande do Norte
Fronteira com o Ceará.

(...)

LAGARTIXAS VERDINHAS PELO CHÃO


Poema de Patativa do Assaré ilustrado por Mariza Viana e lançado pelas Edições Demócrito Rocha. Trabalho bastante pitoresco, com belas ilustrações. O véi Patativa entendia do riscado! Sabia muito de poesia e manjava também de engenharia genética...

TRECHOS:

Um calango nas árvores trepou
E ficou a vagar de copa em copa
Qual vaidoso rapaz, que tudo topa,
Lagartixa do mesmo se agradou
E com ele ao seu lado passeou
Pelos matos frondosos do sertão
Surgiu logo uma nova produção
Porque Deus desta forma permitiu
E mais tarde, na Terra, a gente viu
Lagartixas verdinhas pelo chão.

Essa história que eu conto aconteceu,
Foi por isso que um tal naturalista
Exibindo um papel de cientista
De saber o segredo prometeu,
Pelejou porém nada resolveu
A pesquisa do mestre foi em vão
E depois que não teve solução,
Ficou ele a dizer que não sabia
Porque neste Brasil a gente via
Lagartixas verdinhas pelo chão.

(...)