segunda-feira, 14 de março de 2016

PEGUE O POMBO!




DESABAFO DE FIM DE TARDE

Eu saí com destino à bodega da esquina, a fim de comprar meia dúzia de pães carioquinhas para o cafezinho da tarde, quando deparei com um ancião - um velhinho aposentado que tem fama de doido - visivelmente perturbado, de bengala em punho e veias do pescoço a latejar, gritando e reverberando aos quatro ventos:
" – PRENDAM O LULA!!! Prendam o Lula, a Dilma, o Cunha, o Aécio, o FHC, o Bolsonaro, o Delcídio, o Sarney, o finado Pedro Álvares Cabral, o velho Thomé de Sousa, Governador da Bahia, o Mem de Sá, Tiradentes, Dona Maria, a Louca, D. João VI, D. Pedro I, D. Pedro II, Prudente de Morais, Antônio Conselheiro, Getúlio Vargas, Juscelino Kubtischek, João Goulart, meu conterrâneo Castelo Branco, Garrastazu, Dutra, Café Filho, Carlos Lacerda, Plínio Salgado, Luís Carlos Prestes, Tibiriçá, Anhanguera, Padre Anchieta, Padre Cícero, Frei Galvão, Irmã Dulce, o Tarcísio Matos, o Falcão, o Fagner e o Ednardo (Belchior já selou o tejo e pisou na folha), os Tarcísios Sardinha e o Garcia, o Rosemberg Cariry, o professor Gilmar de Carvalho, a Dina Vaqueira, Tonico Marreiro, Carneiro Portela, o Macaúba, a Rachel de Queiróz, o Delmiro Gouveia, Lampião, Fernando da Gata, o pistoleiro Mainha, João Grilo, Cancão de Fogo, Pedro Malazartes, Guimarães Rosa, 'seu' Guimarães do Café, o Guimarães da Cueca, o Cão do Segundo Livro... Mas deixem o meu PAÍS em PAZ. O Brasil precisa trabalhar e o povo precisa viver. Um cidadão de bem, apartidário, trabalhador, livre pensador precisa de sossego para criar a sua família livre dessa onda de terror. Vão procurar uma lavagem de roupa noutro riacho. Ô desassossego da gota serena! Vôtes!!! Figa!!! Desconjuro com tanta perturbação nos rolamentos do juízo."
Meio assustado, me benzi e disse: - Amém! Prendam até a Mãe do Calor de Figo, mas me deixem fora dessa zorra. Eu e os meus “cumedôzim” de rapadura!




Saí com as palavras do Papa Francisco I martelando no juízo: “A concentração monopolista dos meios de comunicação é um COLONIALISMO IDEOLÓGICO”. Não muito longe dali, um jovem playboy escutava um “buco-buco” de Sua Majestade Wesley Safadão e comentava com os brothers: “- O Lião ganhou de 2 X 1 do Vozão, de virada, mermão!”
Peguei meu saquinho de pão e saí dali pensando com meus botões... Bem que eu podia ter ficado em jejum no recesso do meu lar... É que me veio à mente a fala daquele personagem de um conto do mestre Moreira Campos:
- Eu não tenho paciência de ser preso!


Caucaia, 14 de março de 2016 – o ano que não começou!