quinta-feira, 26 de abril de 2018

O TOLO QUE ERA SÁBIO


AS HISTÓRIAS DE MULLA NASRUDIM


Os Contos de Mulla Nasrudin já passaram por muitos séculos. Acredita-se que o personagem de Mulla Nasrudin é baseado em um homem real que viveu no século XIV. No entanto, muitos países pretendem ser a origem do caractere de Mulla Nasrudin real e de suas histórias, e assim permanece incerto onde o homem vivia e as histórias começaram.
Quem conta um conto aumenta um ponto. Ao longo de muitas gerações, novas histórias foram adicionadas, outras foram modificados, e o personagem e as suas histórias se espalharam para regiões mais amplas. Os tipos de temas e sabedoria em seus contos tornaram-se lendárias, produtos de uma variedade de observações e a imaginação das pessoas. E embora a maioria deles retratam Nasrudin em um ambiente de pequena aldeia precoce, os contos de lidar com conceitos que têm relevância para o universo e as pessoas de hoje.
Hoje, as histórias de Mulla Nasrudin são recontadas em uma grande variedade de regiões e foram traduzidas em muitas línguas. (Ele pode apenas ser considerado que algumas regiões desenvolveram de forma independente um personagem semelhante a Mulla Nasrudin, e as histórias se tornam assimilaram juntos.)
Em muitas regiões, Mulla Nasrudin é uma parte importante da cultura e é citado ou aludido freqüentemente na vida diária. Uma vez que existem milhares de diferentes histórias de Nasrudin, um pode ser encontrado para caber quase qualquer ocasião.
Os sufis também usar histórias de Nasrudin freqüentemente como ferramentas de aprendizagem e meditação, semelhantes à maneira como os praticantes de Zen Budismo usam koans.


O TOLO QUE ERA SÁBIO

Todos os dias o Mullah Nasrudin ia esmolar na feira, e as pessoas adoravam vê-lo fazendo o papel de tolo, com o seguinte truque: mostravam duas moedas, uma valendo dez vezes mais que a outra. Nasrudin sempre escolhia a menor.

A história correu pelo condado.

Dia após dia, grupos de homens e mulheres mostravam as duas moedas, e Nasrudin sempre ficava com a menor. Até que apareceu um senhor generoso, cansado de ver Nasrudin sendo ridicularizado daquela maneira. Chamando-o a um canto da praça, disse:

- Sempre que lhe oferecerem duas moedas, escolha a maior.

Assim terá mais dinheiro e não será considerado idiota pelos outros. Nasrudin lhe respondeu:

- O senhor parece ter razão, mas se eu escolher a moeda maior, as pessoas vão deixar de me oferecer dinheiro, para provar que sou mais idiota que elas.

O senhor não sabe quanto dinheiro já ganhei, usando este truque. E acrescentou:

- "Não há nada de errado em se passar por tolo, se na verdade o que você está fazendo é inteligente".

* * *



Também nos diz a sabedoria popular nordestina: “Quando você vinha com os cajus, eu já ia com as castanhas”


Uma máxima popular

Quero deixar registrada:

Quem se acha muito esperto

Às vezes não sabe nada,

Quando espera um maturi

Já tem outro bem ali

Comendo castanha assada.

(Arievaldo Vianna)